Biodiversidade na Baixada Caracense

28 de novembro de 2017

As formigas de correição de nossas matas

Formigas, em geral, servem como analogia para algo pequeno. Não é à toa que já ouvi a expressão: “Somos formigas lutando contra elefantes”. No entanto, são animais importantíssimos para os ecossistemas, desempenhando papel fundamental em diversos serviços ambientais.
Um interessante grupo de formigas é o das correições, que cruzam amplas áreas pelo piso das florestas, atacando e espantando uma diversa gama de animais que se encontram em seu caminho, especialmente invertebrados. Estes animais desalojados, por sua vez, são capturados por aves que seguem as correições com esta finalidade. Algumas aves são especialistas em seguir correições e outras aproveitam deste evento apenas oportunamente.

Formiga de correição do gênero Eciton coletada na mata do Capão da Coruja e depositada na Coleção Entomológica do Museu de Ciências Naturais da PUC-Minas. Foto: Felipe Henrique Datto Liberato.

.
As formigas de correição não constroem ninhos fixos – suas colônias acampam em diferentes locais da mata ao longo dos dias. Isso significa que as formigas de correição necessitam de amplas áreas florestadas para viver. E, também, que as aves que as seguem são desafiadas cada dia a descobrir onde estão as correições.
Nas matas da baixada caracense, apesar de cada dia mais depauperadas e fragmentadas pelo avanço de atividades minerárias, ainda se encontram formigas de correição. E muitas aves seguem-nas. No Capão da Coruja, observei uma ampla correição de formigas do gênero Eciton atravessando a mata por várias horas.
Uma pesquisa detalhada a este respeito foi realizada na Estação de Pesquisa e Desenvolvimento Ambiental de Peti, não distante do Caraça (Faria, C. M. A. & Rodrigues, M. 2009. Birds and army ants in a fragment of the Atlantic Forest of Brazil. Journal of Field Ornithology, 80:328-335). Os autores levantaram 66 espécies de aves seguindo as correições, das quais 43 foram observadas predando animais afugentados pelas formigas. Além disso, o estudo apontou que a papa-taoca-do-sul (Pyriglena leucoptera) é uma espécie ave que segue obrigatoriamente as correições nesta região.

Papa-taoca-do-sul (Pyriglena leucoptera) fotografada na mata do Capão da Coruja, baixada caracense. Foto: M. F. Vasconcelos.

.
Vários estudos apontam que a redução das florestas a pequenas ilhas de matas levam à extinção das formigas de correição e, por conseguinte, à extinção de várias espécies de aves que as seguem. Por este motivo, encontrar estas formigas na baixada caracense é um sinal de saúde de nossas matas.
Tão pequenas, mas tão importantes…

Deixe aqui o seu comentário: