Biblioteca do Caraça

biblioteca

biblioteca

Como a maioria das Bibliotecas, a Biblioteca do Caraça também foi se formando aos poucos e de acordo com as necessidades do Colégio. Na época do Irmão Lourenço de Nossa Senhora, não havia mais do que 27 livros, sendo todos religiosos.

Os primeiros Padres da Missão que chegaram ao Caraça trouxeram algumas publicações da Europa e do Rio de Janeiro, dando início ao famoso acervo desta Biblioteca. De todos os Padres que por aqui passaram, o que mais contribuiu para a formação do acervo foi o Padre Miguel Maria Sípolis, que por duas vezes foi superior do Caraça (1854-1857 e 1861-1867). Tendo ido à Europa por diversas vezes, Padre Sípolis trouxe de lá publicações dos séculos XVI, XVII e XVIII.

No século XIX, na Província de Minas, duas Bibliotecas se destacavam pelo número de volumes e pelo valor cultural de seu acervo. Uma era a Biblioteca Municipal Batista Caetano de Almeida, instalada em 1827, na cidade de São João Del Rei. A outra era a Biblioteca do Colégio do Caraça, provavelmente com cerca de 50.000 volumes.

Quando houve o incêndio em 1968, a maioria dos livros se queimou. O que se sabe ao certo é que quase 15.000 livros foram salvos pelos alunos e pelos Padres que enfrentaram o fogo para salvar o rico acervo. Hoje, contando com mais de 30.000 volumes, a Biblioteca do Caraça guarda dentre suas preciosidades 2.500 obras raras.

Para o visitante que sobe a Serra, são necessários tempo e disposição, associados a interesse e cultura, para apreciar os tesouros de uma Biblioteca quase bicentenária, responsável pela formação de tantos homens ilustres que ajudaram a mudar a história deste país.

A Biblioteca atualmente está instalada no segundo andar do prédio onde funcionava o Colégio e que hoje abriga o Museu, a Biblioteca, o Arquivo Histórico e Fotográfico e um Centro de Convenções.

Confira abaixo algumas fotos:
(clique para ampliar)